Cinquenta brasileiros isolados no Peru conseguem repatriação no Brasil

Um grupo de 50 jovens brasileiros estudantes de Medicina em Lima, no Peru, conseguiu a repatriação nesta semana depois de dois meses de espera, devido ao fechamento de fronteiras aéreas e terrestres com a pandemia da covid-19. O voo chegou ao Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, vindo da capital peruana na noite de terça, dia 12 de maio, graças à intervenção humanitária da deputada estadual Damaris Moura.

A saga de retorno teve início nos primeiros dias de abril, quando os universitários entraram em contato com a Embaixada do Brasil em Lima. Porém, não havia nenhum voo de repatriação disponível. Mesmo por via terrestre, a viagem se mostrava inviável, já que o Peru havia fechado todas as fronteiras. Enquanto isso, as medidas de quarentena eram cada vez mais endurecidas, bem como a saudade e a preocupação dos familiares.

Foi quando a mãe de um dos alunos pediu a ajuda da parlamentar Damaris Moura. Defensora da liberdade religiosa no Brasil há quase 20 anos. A deputada identificou um voo da companhia aérea Azul rumo a Lima fretado pela Igreja de Jesus Cristo dos Últimos Dias (mórmons) para repatriar 186 peruanos que estavam no Brasil, missionários desta igreja. A partir do contato com a deputada, os mórmons disponibilizaram as vagas excedentes para a Embaixada do Peru no Brasil para gratuitamente repatriar peruanos no voo de ida. Já no voo de volta, os assentos vagos foram disponibilizados à Embaixada do Brasil em Lima, para acomodar os estudantes brasileiros.

Devido aos vínculos formados em defesa da liberdade religiosa, Damaris Moura pôde participar pessoalmente dos acordos para alocar o grupo no voo. Ela intercedeu pessoalmente junto às autoridades peruanas para viabilizar a autorização de pouso e decolagem no Peru, bem como acionou o departamento jurídico da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que assumiu a responsabilidade civil e apólice de seguro dos passageiros.

“Foi uma experiência muito marcante e um privilégio apoiar esta ação humanitária de repatriação dos estudantes brasileiros. Impossível descrever a alegria e a intensa emoção de recebê-los no aeroporto, junto às suas famílias”, descreve a parlamentar. “A intervenção da deputada Damaris Moura foi primordial no processo de remarcação. Se ela não tivesse localizado o voo fretado, dificilmente teríamos conseguido sair do país”, diz a estudante Beatriz Fiuza, de Tatuí.

 

Contatos para imprensa:

Fernando M. Torres

(31) 98609-3680

[email protected]

Escreva um comentário