Em Defesa da Liberdade Religiosa

No Brasil, desde 1995, é considerado crime a prática de discriminação ou preconceito contra religiosos. Entretanto, no país se registra uma denúncia de intolerância religiosa a cada 15 horas e os adeptos de religiões de matriz africana estão entre os principais alvos, de acordo com dados do Ministério dos Direitos Humanos.

De acordo com levantamento do Disque Denúncia do Ministério da Mulher, da família e dos direitos humanos, o Estado de São Paulo é o que mais ocorrência registrou: 29,08%.

Uma das bandeiras do seu mandato, a deputada Damaris Moura atua há mais de 17 anos na causa, tendo inclusive exercido o cargo de presidente da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP) por 10 anos.

Com ampla experiência na área, é membro do Fórum Permanente Inter-Religioso por uma Cultura de Paz e Tolerância Religiosa da Secretaria da Justiça do Governo do Estado de São Paulo, é conselheira do Conselho Consultivo da Religious Freedom & Business Foundation e membro da Diretoria da Associação Brasileira de Liberdade Religiosa e Cidadania (ABLIRC).

“Intolerância é a ausência de capacidade do indivíduo de lidar com a diferença. Para mim esta frase indica o objeto do nosso trabalho: lutar contra a intolerância de qualquer espécie. Como especialista e defensora de direitos fundamentais não posso me omitir, por isso defendo esta bandeira há tantos anos. E no meu mandato, vou trabalhar ainda mais para que este Direito prevaleça”, declara a deputada Damaris Moura.